CRV entrevista Dr Rômulo Braga

Há pessoas que nascem com uma vocação e Dr Rômulo Braga parece ser uma delas. Médico veterinário há 21 anos, o coordenador do setor de Radiologia do CRV Imagem se tornou referência em Radiologia no país pelo comprometimento, competência e, antes de tudo, amor genuíno pelos animais. Mesmo se dividindo entre as filiais de Copacabana, Barra e Niterói, Dr Rômulo parou para nos dar uma entrevista. Confira!

 

Dr Rômulo, há quanto tempo é veterinário?
22 anos

 

Amo veterinária porque…
Me permite viver para trabalhar pelos animais e também conhecer e servir pessoas.

 

Há quanto está no CRV e que cargo ocupa?
Desde seu projeto de criação e fundação em 2008. Sou Coordenador do setor de Radiologia e Proteção Radiológica.

 

Quando os médicos veterinários devem optar pela radiografia?
A radiografia é um exame simples, acessível e bem acreditado e, muitas vezes, funciona como exame de triagem. Quase todos os sistemas podem ser investigados pelos raios-x. Os mais comuns são problemas ortopédicos, neurológicos, cardiorrespiratórios e alguns casos gastrointestinais, urinários e reprodutivos.

Mesmo que o exame não aponte nenhuma anormalidade, ele não é em vão. Todo exame traz segurança para o médico veterinário e tranquilidade ao proprietário do animal. É, no mínimo, uma oportunidade de criar um registro da saúde daquele paciente, o que pode servir de referência para tratamentos futuros.

 

O que os médicos pedem pouco a você e deveriam pedir mais?
Os exames preventivos para displasia coxofemoral nas raças de cães e gatos que têm predisposição a desenvolver a doença. Incluo também os check-ups anuais dos pacientes mais velhos, mesmo que saudáveis. É válido lembrar que o raio-x deve ser pedido para o acompanhamento de respostas ao tratamento de doenças. Qualquer sinal de andar diferente ou dor, respiração anormal, pequenos nódulos e massas também devem ser logo investigados.

A radiogradia é um dos métodos de pesquisa obrigatório e muito difundido até entre os proprietários dos animais, que costumam estranhar quando ele não é solicitado pelo médico veterinário.

 

O que um veterinário hoje, em início de carreira, precisa saber para ser um bom profissional?
Amar os animais (sem esquecer as pessoas) mais ou tanto quanto a profissão e dedicar a eles a sua verdadeira atenção. Mesmo que isso implique sacrificar sua vida pessoal. Estudar muito, sempre atento a aplicações práticas, e analisar de forma crítica e ética se os os custos e benefícios são adequados ao paciente e seu responsável.

Um veterinário, hoje, em início de carreira precisa cercar-se de centros de excelência, bons profissionais e professores; de preferência eleger um tutor ou modelo que o influencie a manter o foco e as diretrizes de um pensamento ético para pacientes e clientes.

 

E um radiologista?
O radiologista é um veterinário de apoio que está a serviço do veterinário responsável e de seu caso clinico, e precisa lembrar que essa parceria tem de dar certo para que a investigação possa progredir. Deve ter humildade e oferecer toda transparência e dedicação ao caso que lhe foi confiado. Por isso ele precisa estudar todas as outras áreas, em especial clínica médica, e acompanhar de forma prática para compreender que sua especialidade não existe sozinha. Ela faz parte de um contexto e interação maiores. Com a evolução tecnológica cada vez mais rápida, ele precisa investir constantemente em atualização e treinamento.

 

Em abril, o CRV Imagem abre o 3o Curso Interativo de Radiologia Digital, com Dr Rômulo Braga.
Conheça a ementa e saiba como se inscrever.

 

Qual o caso / paciente mais te desafiou e por quê?
Todos são desafios diários e trazem em sua essência expectativas, sentimentos e grande carga emocional dos responsáveis (“os donos”). Muitas vezes nos deparamos com a decisão entre a vida e a morte dos nossos pacientes. Impossível dar peso a eles. Cada um é um caso especial.

 

O que tem no CRV que as pessoas ainda não sabem?
O CRV Imagem tem um intenso trabalho interno de melhoria e busca constante da qualidade em cada pequeno detalhe. Há uma interação participativa da equipe e discussão constante em prol da melhoria contínua profissional, institucional e até pessoal de cada um. Essa pressão positiva cria o diferencial de todo o mercado porque é um dos maiores sinais de respeito e trabalho pelos seus clientes veterinários e tutores de pets, como raramente se vê. O CRV é o melhor lugar para se trabalhar, tem os melhores profissionais e interesse em não se acomodar.

 

Algum pet em casa? Quantos?
São 13 atualmente: 3 cães, 9 gatos e 1 pombo deficiente.

 

 

Comentários

comentários

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar