Os batimentos de Dra Luciana Duque

As cardiopatias congênitas são o que mais intrigam Dra Luciana Duque, responsável pela área de cardiologia de pequenos animais do CRV Imagem. “A gente sempre espera filhotes cheios de saúde e vitalidade”. Membro do CRV há apenas 7 meses (“mas me sinto em casa desde que cheguei”), Dra Luciana tem na Veterinária a realização de um sonho: “me permite cuidar das criaturas mais especiais que existem”.

Continue lendo para conhecer melhor a cardiologista do CRV Imagem.

 

Olá, Dra Luciana Duque, há quanto tempo é veterinária e que cargo ocupa no CRV Imagem?
Sou veterinária há 6 anos e o membro mais recente na equipe do CRV. Estou apenas há 7 meses aqui, mas me sinto em casa desde que comecei. Atuo na área de cardiologia de pequenos animais.

 

Amo veterinária porque…
Me permite cuidar das criaturas mais especiais que existem. É a realização do maior sonho que já tive.

 

Existem raças com maior predisposição para problemas cardíacos? Esses animais deveriam passar por avaliação cardiológica com maior frequência?
Sim. Cães idosos de pequeno porte como Poodle, Pinscher, Maltês são frequentemente acometidos pela endocardiose de mitral. Os cães de médio a grande porte como Labrador, Boxer e Cocker Spaniel podem ser acometidos por cardiomiopatia dilatada desde idade jovem a meia idade.

O diagnóstico precoce e a avaliação periódica permitem instituição terapêutica quando necessária e acompanhamento da evolução da doença.

 

Os exames de check-up são tao importantes para cães e gatos como o são para o ser humano?
São muito importantes. Permitem a detecção de enfermidades mesmo sem sintomas perceptíveis e em estágio inicial, aumentando as chances de tratamento e controle.

 

E os felinos? Que tipo de problemas cardiocirculatórios eles podem apresentar?
A cardiopatia felina mais comum é a miocardiopatia hipertrófica, que leva ao aumento de espessura do miocárdio e, consequentemente, à diminuição da cavidade ventricular. Raças como Maine Coon, Persa e Ragdoll apresentam maior predisposição.

 

O que os médicos pedem pouco a você e deveriam pedir mais?
Exames pré-operatórios em pacientes jovens. Independentemente de idade ou histórico de cardiopatia, é de extrema importância a avaliação cardiológica pré-operatória para minimizar os riscos de procedimentos cirúrgicos. Além das cardiopatias congênitas estruturais, existem as alterações de ritmo que podem ser influenciadas por fatores extra cardíacos, como desequilíbrios eletrolíticos.

 

12062015-CRV-EntrevistaLuciana-600x600-2

 

Qual o caso / paciente mais te desafiou e por quê?
São muitos os casos, mas as cardiopatias congênitas graves me deixam muito intrigada, porque a gente espera filhotes com muita saúde e vitalidade. Nem sempre simples, o diagnóstico é fundamental para terapia medicamentosa e/ou cirúrgica (quando indicada) e definição de critérios de reprodução.

 

O que tem no CRV que as pessoas ainda não sabem?
Que por trás de muita disciplina e dedicação de uma equipe que renova seus conhecimentos a cada dia, existe muita amizade e companheirismo entre os profissionais.

 

Algum pet em casa? Quantos?
Meus filhos? Tenho quatro: os caninos Petrus, Biriba e Rubinho; e Magali, a felina.

 

12062015-CRV-EntrevistaLuciana-600x600

 

Comentários

comentários

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar