Comportamento Animal com Dr Henrique Perdigão

Especialista em Comportamento Animal, o médico veterinário Dr Henrique Perdigão fala sobre os benefícios de saber identificar e lidar com as diferentes personalidades dos cães. Conhecimento útil tanto aos veterinários quanto aos donos de pets.

 

Olá, Dr Henrique, o que te levou a trabalhar com comportamento animal?

Aos 9 anos de idade, fiz um curso de ataque na Polícia Militar e outro de apresentação de cães para exposição. Sempre tive uma facilidade em lidar com cachorros bravos, nunca tive medo. No mais, minha mãe sempre trabalhou com comportamento. Ela tem uma produtora de animais para TV, teatro e cinema, e a ajudo nas gravações desde 15 anos de idade. Acho que, naturalmente, foi surgindo o desejo pelo comportamento animal.

 

Os cães, assim como nós humanos, também possuem “modelos de personalidade”?

Sim, os cães têm uma variedade menor, mas têm.

 

Que atitudes do animal podem nos ajudar a traçar sua personalidade?

Um cachorro acuado perto de um humano sinaliza insegurança. Animais inseguros são imprevisíveis. Se ameaçados, podem latir ou morder. Um cão que rosna para um humano ou outro cão, sem recuar, tem tudo para ser agressivo. Este animal é mais previsível e a probabilidade de ele latir e/ou morder é maior. A personalidade dita a forma como devemos manusear o cão e, assim, evitar acidentes.

 

Para o veterinário, conhecer a personalidade do animal pode afetar o atendimento / tratamento? 

O médico veterinário pode tirar proveito da personalidade do cão para oferecer um melhor atendimento ao paciente e ao proprietário. Certos animais, por exemplo, sentem-se mais seguros quando nós, humanos, nos sentamos no chão para manuseá-los. Os inseguros precisam ser manejados com extrema calma. Nesse casos, devemos evitar também barulhos e tom de voz alto.

 

A personalidade do animal influencia no modo como ele lida com uma doença, por exemplo?

Animais carentes e submissos tendem a se abater mais e, caso vejam seu dono, podem romper acessos e morder enfermeiros. Já os animais de personalidade dominante sentem-se mais seguros e encaram a adversidade com maior independência.

 

Conhecer e aceitar a personalidade do animal melhora a qualidade de vida também do dono?

Demais! Numa casa onde o dono e o cão se entendem, reina a qualidade de vida. Antes de adquirir um cachorro, o futuro proprietário deve fazer uma autoanálise e pesquisar a respeito da raça do cão. Um animal carente não pode ter um dono frio e ausente, ao passo que animais dominantes precisam de pessoas com pulso forte. Quando a sua personalidade não combina com a do animal, não há a formação de uma família.

Comentários

comentários

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar