O gato subiu no telhado e caiu. E agora?

O vídeo abaixo viralizou pela web e ganhou até as telas dos noticiários de TV. A cena, carregada de tensão, aconteceu no bairro de Vila Isabel, no Rio de Janeiro: bombeiros tentam resgatar um gato do alto de um prédio.

Entra “quases” e resvaladas, o gato despenca. Felizmente, neste caso, o resultado foi só uma pata quebrada. Mas poderia ter sido pior. Dr Hélio Bagetti, Coordenador do Setor de Radiologia do CRV Imagem, explica o que pode acontecer a um gato quando ele despenca de grandes alturas e diz como os exames de imagem podem ajudar a identificar os danos.

Dr Hélio, quais os possíveis danos sofridos por gatos que despencam de grandes alturas?

Dentre os possíveis danos, os mais comuns são: o pneumotórax, a contusão pulmonar, ruptura/laceração do diafragma, fraturas da pelve e dos membros principalmente dos pélvicos, contusões, abrasões e lacerações principalmente em face incluindo a epistaxe, fraturas de palato duro, dentárias e de mandíbula.

 

 

Como os exames de imagem devem ser aproveitados para o diagnóstico dos casos clínicos citados?

O exame radiográfico é o exame de triagem para identificação de pneumotórax, contusões pulmonares e fraturas de uma maneira geral. A tomografia será bastante útil principalmente no estudo do crânio já que é um exame que não há sobreposição entre as estruturas e pequenas linhas de fratura sem deslocamento e fissuras podem ser bem caracterizadas. O exame de ultrassom é utilizado para identificação de possível líquido livre em abdome, ruptura de órgãos e vísceras como a bexiga, ureter, baço, fígado e hematomas nos órgãos e hemorragia subcapsular renal.

 

 

O vídeo é de autoria da Andréa Livia Damasceno. 

Comentários

comentários

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar