Diagnosticando Cálculos Urinários

Cálculos Urinários é pauta para Dra Carina Aveniente, da equipe de Radiologia e Ultrassonografia do CRV Imagem. Nesta entrevista, Carina detalha como cada um das modalidades de exame de imagem nos ajuda a chegar ao diagnóstico.

 

Dra Carina, o que são os cálculos urinários e onde estão localizados?

Os cálculos urinários são agregações de cristais em forma sólida dentro do trajeto urinário. Eles podem se localizar nos rins, ureteres, bexiga e uretra.

 

Qual a composição mineral do cálculo?

Os cálculos podem ser de diversas composições. As mais comuns são: estruvita, cistina, urato e oxalato de cálcio.

 

Quais os sinais clínicos?

Animais podem apresentar urina com sangue, dor e dificuldade para urinar.

 

Quais as principais consequências causadas pelos cálculos?

Os cálculos podem lesar a parede do trato urinário, resultando em inflamação da mesma. Há uma predisposição ao desenvolvimento de infecção bacteriana do trato urinário. E quando os cálculos se alojam nos ureteres ou uretra, o fluxo urinário pode ser obstruído, ocasionando o acúmulo de urina na bexiga ou nos rins, produzindo uma série de complicações que podem evoluir para um quadro de injúria renal aguda.

 

Como os exames de imagem nos ajudam a chegar ao diagnóstico?

Os exames de imagem são essenciais para a identificação dos cálculos. Cada um deles dá uma contribuição diferente e complementar para chegarmos ao diagnóstico.

 

Radiografia Simples:

  • Cálculos de estruvita e oxalato de cálcio são mais radiopacos, sendo visualizados ao exame radiográfico simples;
  • Cálculos muito pequenos ou sobrepostos pelo cólon podem não ser detectados;
  • Cálculos de urato e cistina são menos radiopacos, portanto não visíveis ao exame simples.

 

Radiografia Contrastada:

  • O uso de contraste pode auxiliar no diagnóstico de cálculos que não são visíveis ao exame simples;
  • Devido à toxidade, há contra-indicação em pacientes com comprometimento da função renal.

 

Ultrassonografia:

  • Avalia o grau de obstrução e pode auxiliar na localização do urólito;
  • Presença de gases e fezes no trato gastrointestinal pode atrapalhar a visualização do cálculo.

 

Tomografia:

  • Determina o grau de obstrução;
  • Detecta com precisão a quantidade, tamanho e localização dos cálculos, o que é essencial para a decisão do tratamento;
  • Não necessita de contraste.

 

Comentários

comentários

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar